sexta-feira, 14 de abril de 2017

Nós, evangélicos, podemos festejar a páscoa?

Muitos de nós, evangélicos, somos originários de igrejas onde tradicionalmente somos ensinados a não comemorarmos datas festivas, tais como natal e páscoa. Entretanto, há diversas denominações onde este ponto de vista não é apreciado. Vamos entender aqui de forma bem prática se você pode ou não comemorar a páscoa, e de que modo.

1. "Sabemos que o ídolo não significa nada no mundo e que só existe um Deus" (1 Coríntios 8:4) - Aqui o apóstolo Paulo nos ensina que, se um alimento é sacrificado a um ídolo, e nós sabemos perfeitamente que este ídolo na verdade não existe, então é como se ele fosse oferecido ao nada, pois só há "um único Deus, o Pai, de quem vêm todas as coisas e para quem vivemos" (1 Coríntios 8:6).

2. "Contudo, nem todos têm esse conhecimento. Alguns, ainda habituados com os ídolos, comem esse alimento como se fosse um sacrifício idólatra; e como a consciência deles é fraca, esta fica contaminada" (1 Coríntios 8:7) - O que Paulo diz aqui é que há pessoas ainda acostumadas com as tradições mundanas, de sorte que se essas pessoas forem comemorar datas, tais como natal e páscoa, elas o farão do mesmo modo que o mundo o faz. Agindo de tal maneira, a fraca consciência deles no Evangelho fica contaminada, isto é, confusa.

3. "A comida, porém, não nos torna aceitáveis diante de Deus; não seremos piores se não comermos, nem melhores se comermos" (1 Coríntios 8:8) - Isto quer dizer que a comida nem é pura nem é impura: pura ou impura é a nossa consciência. Se comemos em paz com Deus, o alimento torna-se puro; porém, se ao comermos nos sentimos acusados, então o alimento torna-se impuro dentro de nós e estamos pecando.

4. "Contudo, tenham cuidado para que o exercício da liberdade de vocês não se torne uma pedra de tropeço para os fracos. (1 Coríntios 8:9) - Ou seja, não use a sua liberdade de ir no supermercado e comprar ovos de páscoa, por exemplo, sem, todavia, importar-se com o efeito que tal atitude poderá causar em um irmão fraco na fé (que não possui o mesmo entendimento que você).

5. "Pois, se alguém que tem a consciência fraca vir você que tem este conhecimento comer num templo de ídolos, não será induzido a comer do que foi sacrificado a ídolos? Assim, esse irmão fraco, por quem Cristo morreu, é destruído por causa do conhecimento que você tem". (1 Coríntios 8:10,11) - Significa dizer que você pode até comemorar a páscoa sem que isto lhe cause qualquer dano espiritual, pois você tem o conhecimento das Escrituras. Entretanto, outros irmãos poderão adoecer espiritualmente ao fazer o mesmo que você faz, por não possuírem o mesmo fundamento bíblico que você.

6. "Quando você peca contra seus irmãos dessa maneira, ferindo a consciência fraca deles, peca contra Cristo". (1 Coríntios 8:12) - Portanto, trazendo para o assunto do texto, o que Paulo nos alerta aqui é que não adianta você não pecar ao comemorar a páscoa (com ovos etc.) se você peca ao induzir o seu irmão que ainda possui uma consciência tenra no Evangelho a comemorar a páscoa em pecado...

7. "Portanto, se aquilo que eu como leva o meu irmão a pecar, nunca mais comerei carne, para não fazer meu irmão tropeçar". (1 Coríntios 8:13) - A carne aqui é só um exemplo. No nosso caso, trata-se de ovos, coelhinhos de chocolate e assim por diante. Se fosse no natal, tratar-se-ia de panetones, perus etc. Todavia, o fundamento é o mesmo: se o que eu como leva o meu irmão a pecar, então eu nunca mais comerei, por amor à alma do meu irmão, pelo qual Cristo um dia também derramou seu precioso sangue na cruz do calvário. Aleluia!

Assim sendo, amados, cada um proceda de acordo com a sua consciência no Evangelho. Entretanto, saibamos que a nossa verdadeira páscoa é o corpo e o sangue de Jesus, isto é, a Santa Ceia, "porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós" (1 Coríntios 5:7).