terça-feira, 25 de abril de 2017

Louis Francescon pertenceria hoje à CCB?

Ouvindo expressões como "nasci nesta graça", "Deus me chamou nessa graça", "cair da graça" e coisas do tipo eu fico me perguntando o que os fundadores da Congregação Cristã no Brasil pensariam da denominação atualmente. Louis (Luigi) Francescon, por exemplo, pertenceria hoje à CCB? A CCB dos dias de hoje é a mesma que ele ajudou a construir em 1910?

Dentro da CCB existe um povo bom e sincero no seu desejo de servir a Deus. Entretanto, a propagação de meias-verdades aliada à falta de estudo da Bíblia a deixou em desvantagem em relação a outras igrejas, onde qualquer membro sabe verdades básicas da fé cristã que às vezes irmãos nossos com 50 anos de caminho desconhecem. A começar pelo verdadeiro significado da palavra Graça: favor imerecido. Graça é o fato de Jesus ter vindo morrer para perdoar os nossos pecados. A este favor que nós não merecíamos denomina-se Graça (Efésios 2:5-8 e muitas outras referências). A única Graça existente é essa. A Congregação é apenas uma boa igreja.

Por certo, quando os primitivos irmãos, durante os cultos, usavam a expressão "nesta Graça" eles sabiam que estavam falando do tempo da Graça (em oposição ao tempo da Lei de Moisés), e não da CCB. Portanto, para eles "cair da Graça" significava alguém retroceder ao tempo da Lei, querendo ser salvo por ela e não através do sacrifício de Cristo (Gálatas 5:4). Todavia, a falta de conhecimento bíblico dos ouvintes fez com que o "cair da Graça" se tornasse sinônimo de "cometer pecado de morte". E, por razões que ignoramos, o pecado de morte em questão passou a ser considerado o adultério e a prostituição, e não a blasfêmia contra o Espírito Santo, o único pecado imperdoável, segundo Jesus (Mateus 12:31-32). Este grave equívoco, aliás, tem gerado uma multidão de ex-membros que, após caírem em pecado, consideram-se já condenados.

Então, resumindo, a carência de conhecimento da Bíblia criou entre a membresia o mito de ser a própria CCB a Graça do Filho de Deus, o que gerou o exclusivismo, que é a crença de que a salvação é só para os que estão ali, que por sua vez culminou na postura antibíblica de não se considerar como irmãos na fé os membros de outras igrejas. Tudo isto, em síntese, é a genealogia da idolatria pela CCB que vemos hoje por parte de muitos em todo lugar.

Francescon ajudou a fundar a Congregação Cristã no Brasil após vir de um avivamento do Espírito Santo que deu origem ao Pentecostalismo. Agora, em nosso meio, precisamos de um novo avivamento, um avivamento de conhecimento da Palavra de Deus. Assim como fez o profeta no passado, devemos hoje clamar: "aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos" (Habacuque 3:2). Aviva com ciência, entendimento e sabedoria dos céus, rogamos nós desta vez. Amém?